Menu

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Mais um ano!!

Desejamos a todos um Feliz Natal e um 2012 cheio de amor, paz, saúde, prosperidade...


Que Deus nos abençoe e proteja todos os animais que estão nas ruas e nas casas dessas pessoas que se dizem  humanas e que tanto judiam desses seres tão indefesos.

Mil lambidas (caninas e felinas) no coração de todos.

domingo, 11 de dezembro de 2011

Ausência / "Pet" para adoção

Olá pessoal!

Desculpa a ausência de postagem. Com a doença (cinomose) de Molly estou gastando demais e tive que conter um pouco meu coração de protetora. A ajuda que recebo mensalmente não dá para cobrir os gastos que tenho com ela e com os outros animais, e assumir um animal sem ter condições é irresponsabilidade. 

Mas como vida de protetora, é vida de protetora, essa semana foi feito um resgate emergencial.

Essa cadelinha chama-se Pet, ela foi atropelada dia 07/12, mas graças a Deus sem gravidade. A protetora Luciana a resgatou e está cuidando dela. Quem tiver interesse em adotá-la é só entrar em contato, ela deve ter entre 4 e 5 meses.




domingo, 30 de outubro de 2011

Centro oferece tratamento espiritual para animais


Confira a curiosa rotina do único local em São Paulo especializado em atender bichos de todas as espécies
Palestra antes do “passe”: pacientes em silêncio
Uma casa de esquina pintada de verde, no Parque Vitória, na Zona Norte de São Paulo, apresenta um movimento parecido com o de um consultório veterinário às quintas, sextas e aos domingos. Dezenas de gatos e, principalmente, cachorros entram e saem presos em coleiras, dentro de caixinhas e aconchegados no colo de seus donos. Não se trata de uma clínica médica, mas da Associação Espírita Amigos dos Animais (Asseama), o único centro dessa doutrina religiosa da capital especializado em receber bichos de todas as espécies. “Queremos mudar a consciência das pessoas em relação a esses seres vivos, que têm alma e dependem de nós”, afirma Sandra Denise Calado, presidente da entidade. Ela diz que se descobriu médium no fim da década de 90. Com dois amigos veterinários, Marcel Benedeti e Cristiane Villarista, criou, em 2006, a Asseama. Três anos depois, a associação ganhou sede própria, onde hoje são atendidos 200 fiéis por semana.

Num domingo típico, o dia de maior movimento, os carros começam a chegar por volta das 8h30. Os frequentadores se reúnem em um quintalzinho, onde há uma lanchonete vegana (sem carne, laticínios e ovos). Só são vendidos produtos como croquete de alho-poró com tofu defumado e coxinha de proteína de soja. Em seguida, as pessoas com seus bichos se dirigem a uma sala repleta de quadros religiosos — com imagens de Jesus e São Francisco de Assis, padroeiro dos animais — para orar e assistir a uma palestra. Durante quinze minutos, os animais de estimação permanecem surpreendentemente em silêncio, sentados junto de seus donos. Vez ou outra uma sinfonia de miados ou latidos toma o ambiente, porém o barulho dura pouco tempo.
No fim da apresentação, um a um eles se dirigem para um cômodo separado a fim de “tomar passe”. De acordo com a doutrina, esse processo se dá quando um espírito transmite energias através das mãos de um médium, colocadas na cabeça do animal. A dona de casa Eloisa Lorenzetti, criada em família católica, aparece ali toda semana com seu pequeno poodle Kiko, de 11 anos. Ele foi diagnosticado com linfoma em maio e perdeu a maioria dos pelos por causa das sessões de quimioterapia. “Antes eu só chorava”, diz ela. “A Asseama me trouxe muito consolo.”

Oração: 200 pessoas vão ao centro por semana
Sempre gratuito, o tratamento também pode ser realizado a distância. Cerca de 3.500 animais de outros locais do Brasil e até do exterior, entre cavalos, ovelhas, porcos e galinhas, foram cadastrados por seus donos no site da entidade para receber as boas vibrações. Logo após as sessões ao vivo, o grupo de quinze voluntários se reúne para pedir auxílio divino para a bicharada distante. Nessa hora, o proprietário precisa estar junto do companheiro de estimação, em silêncio e concentrado. Mantida por doações, a Asseama promove ainda festas temáticas e aulas de culinária vegetariana. No começo do mês, a equipe lançou o livro “O Evangelho dos Animais”, psicografado pela própria Sandra.

Quase todos os pets que aparecem por lá sofrem com algum problema de saúde. É o caso da gatinha Lola, que perdeu a visão por causa de um herpes-vírus. “Quando vim para cá, achei que aconteceria um milagre e ela se recuperaria totalmente”, conta a aposentada Yara Alves. “Isso não aconteceu, mas o atendimento ajudou muito em pequenos problemas, como a baixa imunidade dela.” O alegre cão dachshund Bola, de 7 anos, se locomove com um carrinho acoplado a suas patas traseiras por causa de uma paraplegia. Já o cocker Boby enfrenta um câncer no fígado. “Ele sempre sai daqui muito tranquilo”, garante sua dona, a psicóloga Márcia Souza.

Apesar das reações positivas, a presidente da Asseama não aconselha ninguém a abandonar o tratamento veterinário. “Aqui é só mais uma etapa para auxiliar na cura”, diz. Outra pergunta recorrente relacionada ao serviço é a seguinte: quem perdeu um animal querido pode encontrar sua “alma” circulando pelo local? Acredite se quiser: de acordo com Sandra, seria possível, sim, ter notícias de bichos já falecidos. Mas somente médiuns como ela conseguiriam ver esses espíritos.
Fonte:  www.partidaechegada.com

Associação Espírita Amigos dos Animais (Asseama)
Rua Manuel de Moura, 63, Parque Vitória
☎ 3534-3643
Quinta, 16h30 e 17h30; sexta, 19h; domingo, 9h, 9h50, 10h45 e 11h35

sexta-feira, 21 de outubro de 2011

A melhor adoção do ano

Sempre desejo que os animais doados tenham uma vida digna (carinho, atenção, amor, alimentação adequada, cuidados médicos...) e que sejam felizes.

Fiona foi resgatada em maio deste ano, cheia de verme, sarna e mancando de uma das patas traseiras (tinha sido atropelada). Inicialmente ela ficou abrigada na fábrica de meu irmão, mas como lá tem muitos cães fiquei com medo que ela adoecesse, pois já estava com Molly e Toco doentes e se ela ficasse também iria enlouquecer.

Foi então que pedi (implorei) a Luciana (colaboradora do latinha) para abrigá-la enquanto tentava encontrar um dono para ela. O problema é que Luciana também tem o coração mole (para animais) e depois de quatro meses de convivência ela decidiu adotar Fiona (por puro amor).

Fiquei MUITO feliz, sei que ela terá a vida digna que tanto sonho para os animais.

Agora Fiona tem como irmão um dos amores de minha vida, o Puff.


Boa Sorte Luciana na criação de sua filha sapeca!!

sábado, 8 de outubro de 2011

4 meses de Esperança

Este mês está completando quatro meses que iniciei o tratamento para a cinomose em Molly. De lá para cá, ela já teve crise de choro, parou de comer (a comida era pastosa dada na seringa), de andar, atrofiou os membros, ficou super magra, perdeu massa muscular, ficou com as mioclonias intensas, teve escaras, parou de tomar o medicamento Mantidan porque estava dando taquicardia, fez tratamento para erliquiose, teve diarreia intensa e anemia profunda. O que a deixaram muito debilitada.

Os exames indicavam que ela estava também com babésia ou verminose braba (mesmo estando vermifugada). Como estava muito debilitada não era possível fazer o tratamento com imizol (para babésia), então a veterinária mandou dar 3 dias consecutivos de vermífugo, observar, repetir o exame depois de quinze dias e rezar para que não fosse a babésia, pois ela poderia não resistir ao tratamento.

Duas veterinárias que confio me aconselharam a fazer a eutanásia, já que ela tinha parado de andar e ainda existia a suspeita da babésia. Confesso que pensei em desistir em algum momento, não por mim, mas por acreditar que estava fazendo mais mal que bem a ela. Isso me deixou tão angustiada que fiquei mais magra que já sou.

Graças a Deus a suspeita de babésia foi descartada. Hoje o quadro dela ainda é crítico, o vírus da cinomose perdeu força, porém as sequelas são fortes. Ela continua tomando o etna e o complexo B, retomamos a acupuntura e as fisioterapias. Parece que ela está reagindo bem ao tratamento, está mais esperta, as mioclonias estão mais suaves, está se alimentando bem, voltou a se arrastar (pouco) e a ficar chateada com tanta manipulação.

Não tenho como agradecer a Deus por nenhum dos meus cães terem adquirido a doença (fiz exame em todos durante dois meses para ter certeza que estava tudo bem) e por Toco que é vacinada com vacina nacional (os veterinários não aprovam essa vacina) e teve contato direto com Molly.


Estou confiante que a acupuntura vai fazer com que ela volte a andar.

P.S. Em nenhum momento deixei de reforçar a alimentação e de medicá-la de forma correta, mesmo assim a doença cruel fez um estrago em minha bichinha.

sábado, 1 de outubro de 2011

Mais Castração

Há quinze dias atrás contribuímos um pouco mais para diminuir o número de animais em nossa cidade. Sabemos que é pouco, mas dentro de nossas condições é o que podemos fazer. 

Fiona e Princesa agora estão castradas, livres de algumas doenças e da possibilidade de ter uma gravidez não planejada.

Como elas são bem danadas tivemos um pouco mais de trabalho, pois elas arrancaram os pontos. Graças a Deus quando isso aconteceu já estava próximo do dia para retirada. Para completar Fiona destruiu o colar elizabetano.


Agora está tudo bem, a cicatriz de Princesa já fechou e a de Fiona está quase fechada.



P.S. A postagem está atrasada porque estou sem tempo, vou me esforçar para atualizá-lo sempre.


domingo, 4 de setembro de 2011

Animal não é objeto


As pessoas deveriam pensar bem antes de ter um animal de estimação, seja ele qual for. 

Há dois anos e meio atrás minha sobrinha de doze anos queria MUITO uma cadelinha para ser seu pet de estimação, mesmo contra minha vontade minha mãe e minha irmã compraram um filhote de Dachshund. No início tudo eram flores, mas com o passar do tempo minha sobrinha esqueceu que queria muito o animal e passou a não cuidar devidamente dela. 

Minha irmã também passou a ficar incomodada com as coisas que a cadela fazia e o que eu ouvia era: vou dar fim, me livrar, doar, fazer qualquer coisa com essa cachorra. Fora que elas esqueceram que animal precisa de remédio, vacinas, alimentação... isso também passou a ser um problema.

Para que ela não desse "fim" na cadela eu passei a cuidar, alimentar e a criar a Sheron. Mas infelizmente eu tenho 4 cães, moro com minha mãe (o que não é nada fácil) e ficar com ela seria um problemão a mais.

Depois de muita confusão (eu já briguei muito por ela) na sexta-feira (02/09) minha irmã doou Sheron para uma pessoa que se diz gostar muito de animal. Fiquei e estou MUITO triste, mas não pude evitar que isso acontecesse.

Estou torcendo para que Sheron se adapte a nova dona, e que ela seja tratada como se deve tratar um animal, com carinho, respeito, atenção, dignidade...

Estarei monitorando a adotante (apesar de não ter me envolvido em nada) e irei visitá-la.



Ah! Agora querem que eu doe os meus, acreditem!

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Agosto

Agosto é um mês muito especial para mim, pois é o mês do meu aniversário. Este ano não estaremos tão felizes, pois perdemos ontem o vovô da família, Bethoven. Ele tinha doze anos e infelizmente estava com câncer.

Ele era o xodó de D. Má e D. Nel (tias de Luciana) que durante estes doze anos cuidaram dele com muito amor, carinho, atenção, dedicação e todos os bons sentimentos que nós, amantes dos animais, sentimos.

Sei que para elas vai ser muito difícil a sua ausência, por isso deixo aqui todo o meu carinho e peço a Deus todo conforto necessário para suportar a dor.


Bethoven agora descansa no cemitério Olorum


"Que a estrada se erga ao encontro de seu caminho. Que o vento esteja sempre às suas costas. Que o sol brilhe quente sobre sua face. Que a chuva caia suave sobre seus campos. E até que nos encontremos de novo, que Deus te guarde na palma da sua mão".  bênção Irlandesa 

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

O que aprendi com a cinomose:

* Que é uma doença mais que ruim, ela é ordinária;

* Que devemos ter boa vontade, paciência, perseverança, amor e muita fé em Deus para não desistir no meio do caminho;

* Que não devemos ouvir os pessimistas, eles só nós fazem mal;

* Que é um tratamento caro e longo;

* Que devemos vacinar anualmente nossos animais;

* Que as pessoas procuram uma desculpa para eutanasiar o animal;

* Que vacinas importadas (aplicadas por veterinário) são mais eficazes que as nacionais (vendidas em lojas);

* Que veterinários também se enganam;

* Que devemos seguir nosso pouco conhecimento e nossa muita intuição;

* Que é uma doença imprevisível;

* Que não adianter ter só pena, tem que ter atitude;

* Que ficamos um pouco psicóticos;

* Que devemos ir até o fim, mesmo que em alguns momentos as lágrimas nos esmoreçam.

Ainda estamos no meio do caminho com a recuperação de Molly, mas com fé em Deus tudo vai terminar bem.


Obrigada aos protetores pela orientação.

sexta-feira, 29 de julho de 2011

Para melhorar o dia




Livro de Bradley Trevor Greive

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Um amigo mais que ESPECIAL

Na semana do dia mundial da amizade nós perdemos mais um anjinho, um amigo mais que especial que é o Billy.

Quem acompanha nosso blog sabe o quanto ele sofreu nesta vida. Meu coração está mais que chorando com a morte dele. Cuidei dele durante 3 meses, e todos que conviveram com ele sabem o quanto ele era ESPECIAL.

Um cão que falava pelo olhar, parecia até que era gente (como as pessoas costumam dizer).

Foram 7 meses de nova vida... Ele estava há 4 meses no novo lar (junto com o Luck), mas adoeceu (não sei ao certo qual foi a doença) e nos deixou.

Para mim é muito difícil estar aqui dando esta notícia, queria que ele vivesse ainda por muito tempo. Pelo menos ele não morreu sem aparo e não passou por nenhuma agressão.

Deus sabe o que faz.


Siga em PAZ Billyleu!!!

sábado, 16 de julho de 2011

Marrom

Na correia com a doença de Molly esqueci de contar que um dos cães que cuidamos foi atropelado e perdeu uma das patas. Sei que não devemos medicar animais sem levar ao veterinário, mas como as despesas estão grandes e a grana está curta, eu terminei medicando o Marrom. Com a ajuda de uma senhora (que ficou responsável por dar os medicamentos e limpar o ferimento) conseguimos salvá-lo.





Ainda não consegui tirar uma nova foto dele.

sábado, 9 de julho de 2011

A primeira parte de uma difícil fase!

Infelizmente o que eu tanto temia aconteceu. Foi confirmado no início do mês passado a cinomose em Molly. Desde então tenho me dedicado a salvá-la. Reforcei a alimentação (carne, frango, fígado, peixe, verduras) e comprei todos os remédios necessários para sua recuperação.

Os primeiros dias foram tranquilos, mas com uma semana de tratamento a cruel doença começou a dizer para que veio. Ela passou a chorar e a gritar, parecia que estava sentido muita dor (segundo a veterinária é só uma vocalização, sem dor) e eu a sofrer. A veterinária disse que teríamos que acalmá-la, passou dois medicamentos que não achei em lugar nenhum, por fim resolveu passar calmante natural. Só que os calmantes não faziam efeito, foram 8 caixas em uma semana e meia de muita angustia. Não sabia mais o que fazer para que ela dormisse.

Graças a Deus os calmantes foram fazendo efeito e ela passou a dormir melhor. Agora estou na fase dos tremores, o que de início era só em uma das patas dianteiras já se alastrou por todo o corpo. E para completar ela entrou no cio, o que faz com que a imunidade fique mais baixa.

Sei que a recuperação depende muito mais dela do que de mim, mas estou dando todo o suporte para que ela saia dessa viva e bem.


Com fé em Deus tudo vai dar certo!!!

Despesas com Molly até 07/07/11:

Hemocell: R$20,00
Frango, Carne, Fígado, Verdura: R$47,00
Amoxilina: R$14,00
Vitamina C: R$4,79
Doxitec: R$44,90
Consulta: R$65,00
Rx (2 chapas): R$60,00
Hemograma (6 unidades): R$143,00
Pesquisa de Hematozoário: R$30,00
Gasolina: R$75,00
Vermífugo: R$11,00
Promundog: R$23,00
Ração: R$73,00
Vitamina B12: R$91,90
Maxicam: R$6,60
Doxitrat: R$48,00
Citoneurin 5000: R$35,57
Calmantes (vários naturais): R$114,49
Nutralogic: R$ 115,00
Dorless: R$35,00
Etna: R$25,87
Mantidan: R$13,60

TOTAL: R$1096,72

quinta-feira, 7 de julho de 2011

Mais Um





Ontem mais um anjinho nos deixou. O Tob era um filhote grandão, carente e dócil, que infelizmente não conseguimos salvar.

Ele estava com um caroço no pescoço além da erliquiose, e a pessoa que se dizia dona dele não quis gastar com veterinário.

Como eu já estou com minha cota estourada por causa dos animais que estou cuidando, não pude levá-lo ao veterinário a tempo de salvá-lo.

Fico triste porque ele morreu e ao mesmo tempo tranquila porque sei que agora ele não sofre mais.

domingo, 19 de junho de 2011

Toco

Depois de quase 50 dias de tratamento contra a erliquiose, estou devolvendo Toco para os seus "donos". Meu coração na verdade queria que ela fosse realmente para um lar. Ela ficou dois meses em minha casa, e é com muita tristeza e grande preocupação que a devolvo para aquele lugar, por causa dos cuidados que não existem.

Infelizmente não posso fazer muita coisa, pois as crianças da "casa" (na verdade é um galpão) estão pedindo muito que a devolva e agora foi confirmado que Molly está com cinomose, apesar de Toco ser vacina e estar sendo medicada também não posso deixá-la mais aqui. Com a companhia da pimenta (Molly) ela ficou mais alegre, até a carinha de cachorro carente sumiu.

Vou continuar cuidando dela e pedindo a Deus para que a proteja.

sábado, 4 de junho de 2011

Niver Puff

Hoje um de nossos mascotes está completando nove anos. Vou contar um pouco de sua história!



Puff nasceu em uma família de nove irmãos, 2 morreram ao nascer. Era o menor de todos os filhotes e consequentemente o mais "feio". A pedido de minha irmã (dona da mãe dele) passei a cuidar dele, pois não conseguia mamar direito e ela achava que ele ia morrer.

Além de cuidar tinha a missão de achar alguém para adotá-lo, já que minha mãe não aceitava mais animais em casa.

Só que o amor foi a primeira vista, fiquei com ele uma semana e não conseguia imaginar minha vida sem aquele serzinho. Foi então que IMPLOREI a minha amiga Luciana para criá-lo, depois de mil acordos ela cedeu ao meu pedido. Com três dias na casa dela ele parou de andar, não levantava as patas traseiras.

Corremos para o veterinário com aquela criaturinha de um mês de vida que cabia em uma toalha de lanche de criança. Depois de um hemograma e muito choro, descobrimos que além das vermes (que eram muitas) ele estava com alguma doença que deixou o sangue como "Q-Suco" (possivelmente a doença do carrapato), a veterinária sugeriu uma transfusão de sangue, mas sem garantia de que ele iria viver. Autorizamos a transfusão, sofremos com todas as incertezas, mas graças a Deus tudo deu certo.

Hoje Puff é forte, saudável e alegre, é um AMOR de cão. São muitas histórias no decorrer desses nove anos, daria para escrever um livro.

Sei que nosso amor é incondicional e recíproco.

Parabéns Negão!!!

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Decepção

Tivemos duas audiências esse mês para resolver o caso de Jade (a filhota repassada sem nossa autorização).

A primeira foi a audiência de conciliação, onde a adotante e o marido mentiram, gritaram e tentaram me humilhar, mas me mantive firme na minha posição. Como eles viram que não tinha saída pediram ,cheios de arrogância, que tivesse a audiência de instrução e julgamento.

Nessa audiência teríamos que comparecer com advogado, testemunhas e provas. Eu corri feito uma louca, quase que nem dormi para conseguir deixar tudo pronto. E lá estávamos eu, testemunhas, provas, advogada (cedida pela ONG Terra Verde Viva) e eles (sem advogado e com uma testemunha).

Quando ela começou a falar vi em seus olhos que vinha mentira braba no caminho, e não deu outra, a testemunha se apresentou como adotante da Jade, disse que a cadela estava morta há cinco meses (na audiência anterior ela tinha dito que não via a cadela há dois meses), que tinha sido em Itapetinga, que não deu tempo de levar ao veterinário e blá, blá, blá.... Foi tanta mentira que a criatura disse que o cadela era macho e não sabia direito as características (claro! ela nunca tinha visto o animal).

O juiz parecia que estava achando tudo aquilo um teatro, dispensou as provas e as minhas testemunhas. Saímos de lá com a certeza de que a justiça seria feita, mesmo porque, disseram que o juiz era bem flexível para a causa animal. Foi um mero engano, no dia seguinte quando liguei para Dra Ana Rita para saber quando sairia a sentença fui informada que o juiz tinha acreditado que a cadela estava morta, e que tinha dado causa encerrada. Fiquei tão arrasada que nem consegui trabalhar mais, tive a sensação de ter participado de um "teatro dos horrores" e a certeza de que a justiça de nosso país protege os errados.

Dra Ana Rita disse que entraria com um pedido para reverter à situação, mas eu recebi um balde de água gelada. A essa altura eles já devem estar rindo de nossa cara, achando que todo nosso trabalho foi em vão.

Sei que a cadela não foi adotada por aquela criatura que estava lá como testemunha, acredito também que ela esteja viva, sabe lá Deus com quem e onde.

Agora é só esperar que DEUS faça a sua justiça. Pode até não ser nessa vida, mas um dia ela será feita.


"O grande mal do mundo, causador de todo sofrimento, atende por este nome: IGNORÂNCIA" (Martin Luther King)

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Nosso Primeiro Ano

Mês passado o blog fez aniversário.
Essa é uma pequena homenagem aos animais que por nossas vidas passaram durante esse ano, e a todos que se dedicam a causa animal.



Parabéns!!!!!!!!

sexta-feira, 6 de maio de 2011

Coração x Razão

Mudei de local de trabalho há um mês, e como não poderia ser diferente tenho encontrado vários animais pelo caminho. Porém, há quinze dias uma criaturinha chamou minha atenção e desde então vinha pensando muito em fazer algo para tirar das ruas um ser tão frágil e maltratado.

Passei a cuidar dela na rua mesmo, porém percebi que ela estava mancando (tinha sido atropelada), fiquei mais angustiada porque sabia que era só uma questão de dias para ela não estar mais ali.

Mobilizei algumas pessoas e consegui um lar temporário (temporário mesmo) para cuidar dela melhor.

Alguns me chamaram de louca (está cada vez mais difícil encontrar adotantes) sei que sou um pouco (estou com duas cadelas a mais em casa), o problema é que não consegui ser indiferente àquele olhar triste, que parecia um pedido de SOCORRO. Mais uma vez deixei o coração falar mais alto que a razão.

Assim que ela estiver bem seguirá para adoção.

Essa é Fiona. Antes e depois do banho.

sexta-feira, 29 de abril de 2011


Esse cãozinho chama-se Gabriel, ele foi encontrado nas proximidades do bairro de Ondina no mês de março. Segundo a pessoa que o encontrou ele tem dono, pois foi divulgado o sumiço do animal em um programa de Tv. Só que não deu tempo dele anotar o contato para devolvê-lo.

Quem souber de algo pode entrar em contato.

Obrigada!

sexta-feira, 22 de abril de 2011

Resultado da Rifa

O ganhador da rifa (3 camisas femininas) foi Júnior, que assinou o nome Júlia.


Obrigada a todos que assinaram, e até a próxima rifa.

sexta-feira, 15 de abril de 2011

Irresponsabilidade ou Falta de Compromisso?

Queria entender como funciona a cabeça de certas pessoas...

Alguns dos animais que cuidamos tem "dono", os quais não os alimenta  direito, não medica, não dá banho, atenção, enfim para mim eles são de rua. Tenho sérios problemas por alimentar e cuidar desses animais tão carentes como qualquer outro. As pessoas não entendem que quando se cuida de um animal, se faz o bem ao animal, e não ao "dono".

No mês de fevereiro perdemos preta, uma cadelinha que não tinha dono... Como ela era amiga inseparável de Toco eu achei que deveria fazer o exame para ver se ela também estava com a doença do carrapato, batata, a doença já está instalada e avançada. Corri para comprar os remédios e conversei com a "dona" dela para que ela desse a segunda dose do remédio diário já que não moro lá e para mim ia ficar complicado sair da Calçada todos os dias 20h.

Para minha alegria a cadela melhorou, repeti o exame e estava tudo voltando ao normal. Aparentemente ela estava cumprindo com o acordado. Só que na semana passada a cadela voltou a ficar mole, sem querer comer, apática. Liguei para a veterinária achando que poderia ser reação do medicamento.

Como Deus não quer nada mal feito, conversando com a filha da criatura descobri que ela tinha deixado de dá o medicamento alguns dias. Não sei ao certo quando ela parou de medicá-la, o que sei é que a cadela está tão mal que decidi trazê-la para minha casa para ver se consigo salvá-la.

O que leva uma pessoa que não precisou meter a mão no bolso a deixar de dar os cuidados a um animal????

Eu realmente gostaria de descobrir...


Despesas com Toco:

Doxiclina: R$79,00
Hemograma (2): R$50,00
Comida em Lata: R$12,00
Vitamina: R$20,00
Vermífugo: R$6,00

Total de 14/03 a 14/04: R$167,00

sexta-feira, 8 de abril de 2011

Gatas - Cio x Castração

Cio
 O cio de uma gata dura de 4 a 7 dias, porém algumas gatas podem permanecer no cio por vários dias. Isso ocorre em virtude de cistos ovarianos, fazendo com que a fêmea fique no cio por longos períodos. Essas são as principais candidatas à castração. O cio das gatas manifesta-se a cada 3 meses, normalmente.
Se sabe quando a fêmea está para entrar no cio, ou já está nele, quando ela se esfrega demais nas coisas e nas pessoas, fica rolando no chão, fica mais carinhosa, começa a urinar mais, e as vezes urina em jatos para demarcar território, como os machos.
Ela "chama" o macho, entorta a coluna com o rabo para cima, desvia a cauda para um dos lados, abaixa - se sobre os membros anteriores, dá passos rápidos com os membros posteriores e mostra desejo de cruzar. Pode haver perda de apetite. O macho é atraído tanto por seu comportamento, seu chamado, quanto pelo odor de sua urina.
Não tem outros sintomas físicos de cio, como nas cadelas, onde ocorre o sangramento e o edema de vulva.
As fêmeas têm cio até o final da vida. Não existe a "menopausa" em gatas.
Castração
*A gata castrada fica menos nervosa e barulhenta, mais relaxada, brincalhona e afetiva;

*A castração também irá aumentar a expectativa de vida dela, porque ela não terá problemas de saúde como tumores de mama e do aparelho reprodutivo, cistos ovarianos, infecções uterinas como piometra, que obrigará a uma cirurgia no final das contas, muito pior do que a castração, já que haverá um campo operatório contaminado por bactérias e com risco de septicemia (infecção geral);

*Você também estaria aliviando-a de um sofrimento e uma angústia, já que o instinto de preservação e hormônios falam alto. Não que ela sinta desejo de ser mãe, como acontece com mulheres. Elas nem sabem o que é isso. É uma coisa instintiva e irracional, devido aos hormônios;

*A fêmea não castrada faz marcação com urina pela casa, deixando um cheiro horrível;

*Tenta fugir e mia alto;
A castração é uma forma mais humana e saudável de manter uma fêmea, se você não deseja filhotes.
A tendência para engordar pode ser controlada com alimentação correta e exercícios.
As fêmeas podem ser castradas a partir de 7 meses de idade e os machos por volta dos 6 meses.


Pensando no bem estar de Vida, a dona dela resolveu que deveria castrá-la, e assim foi feito. Vida fez a cirurgia na semana passada e está muito bem.

Fontes:
http://www.becodosgatos.com.br/
http://www.webanimal.com.br/
http://www.saudeanimal.com.br/

domingo, 3 de abril de 2011

Uma Nova Etapa

Ontem fui a Feira de Santana levar dois dos nossos anjos de 4 patas, Billy e Luck.

Toda adoção para nós é uma etapa muito difícil , pois não sabemos se o animal vai ser tratado como realmente merece, e o coração fica do tamanho de um grão de arroz.

Antes de levá-los procurei ter certeza de que não estava fazendo a coisa errada (a intenção não é se  livrar do animal, e sim te dar uma vida digna). Constatei que os adotantes gostam de animal e o lugar tem bastante área para eles ficarem "livres". Depois de mil recomendações (alimentação, vacinas, como eles gostam de dormir, a questão de fugirem...) vim embora, mas hoje já liguei para saber como eles passaram a primeira noite em um novo lar e se estavam se adaptando.

Dona Neuza (a nova dona deles) me disse que tinha corrido tudo bem à noite e que eles estão alegres.


Eles agora terão como irmãos 3 gatos, um papagaio, algumas galinhas e uma filhota (Traquina).

Espero em Deus que eles sejam felizes, principalmente Billy que sofreu tanto nas mãos deste mundo tão cruel.

Um abraço.

domingo, 27 de março de 2011

Teste

Acredito que Deus esteja testando minha opção de ser protetora animal. Primeiro Preta ficou doente e morreu, depois vieram Papito, Toco, Negona (que mal se aguenta em pé) e para fechar o mês Molly me apareceu com uma tossi com vômito que não sabemos de onde veio e não fica nada no estômago, nem água.
Parecia que ela estava vomitando por alguma indisposição intestinal, mas mesmo dando o remédio para parar o vômito ela continuava a vomitar. Percebemos que era a tosse que estava fazendo ela vomitar.

Entrei em pânico... Pensei logo em cinomose (a veterinária que atendeu Negona me disse que está solando, e que a tosse é um dos sintomas), mas ela não tem nenhum outro sintoma aparente. Ia levar ao veterinário, o problema é que hoje é domingo e tudo é mais caro (depois de tantos doentes a grana tá curta).

Pedi socooooooro a Sheila (abrigo São Francisco) e ela me orientou a dá amoxilina, hidratar e aguardar até amanhã. Caso ela não melhore faremos um Rx da garganta para ver se ela não se engasgou com algo ou é outra doença mesmo (gripe, tosse de canis ou até mesmo cinomose).

Montei um "arsenal de guerra" em minha casa (tive que trazê-la para observar melhor), porque não sei ao certo o que ela tem e não posso arriscar que passe para os demais animais.

Com fé em Deus não vai ser nada de grave, e ela vai ficar boa.

Ah! Toco está reagindo bem aos medicamentos e Papito perdeu dois pedaços da língua, mas está ótimo.

terça-feira, 15 de março de 2011

Protetora e Mãe de Cachorro

Semana passada descobri que Toco (uma das cadelas que cuidamos) também está com a doença do carrapato. Mesmo colocando o remédio tópico ela contraiu a doença, o que indica que outros também estão.

Iniciei o tratamento dela ontem, e estou me programando para fazer o mesmo com os outros cães que estão apresentando algum sintoma.

Para completar minha angustia, minha cadela vira-lata (Violeta) resolveu morder meu york (Papito). Só descobri que algo estava errado dois dias depois, quando ele passou a não comer e beber água. Levei-o ao veterinário pensando que ela tinha machucado a garganta dele, mas o problema é um pouquinho maior, ele arrancou um pedaço da língua (provavelmente tentando se defender).

Hoje ele está tomando antiinflamatório e antibiótico. Continua quieto, desconfiado, se alimentando com dificuldade (só comida pastosa) e bebendo água no algodão umedecido (não consegui beber sozinho).

Estou duas noites sem dormir direito, primeiro porque não sabia ao certo o que ele tinha, depois porque fico observando para ver se está tudo bem.

Ainda esta semana retornarei a clínica para fazer uma avaliação melhor, já que ele é um pouco estressado e não deixou a veterinária ver a língua.

Espero que Papito não fique com sequela e que consiga salvar os cães da doença do carrapato.

Um abraço a todos.

quarta-feira, 16 de fevereiro de 2011

Preta

Hoje perdemos Preta. Não sei se para a maldade de alguém que se diz ser humano, ou para a doença do carrapato.

Na sexta-feira passada ela apareceu com a pata um pouco inchada, deduzimos que alguém tinha batido nela, já que ela morava na rua. No sábado comecei a dar o antiinflamatório e na segunda observei que o edema estava se espalhando, que ela estava andando melhor, mas a parte interna da pata estava bem escura.

Ontem quando fui carregá-la ela chorou e fez xixi de dor, e passou a vomitar água com sangue. Achei que era hora de levá-la ao veterinário acreditando que a pancada tinha afetado algum órgão.

Chegando lá descobri que ela estava também com a doença do carrapato (não estava com nenhum sintoma aparente além de umas manchas na barriga que não sabíamos que era da doença). Foi feito um hemograma para ver como estavam as plaquetas, ela foi medicada e levada de volta para fábrica. Quando a deixei lá ela balançou o rabo, bebeu água e ficou me olhando. Estava me dando um adeus.

Hoje quando a fábrica foi aberta ela já estava morta. Quem é protetora (o) e quem gosta de animal deve saber o vazio que estou sentindo por não estar do lado dela quando morreu, por não ter conseguido tirá-la de lá para um lugar melhor, por não ter conseguido salvá-la.

Sei que Deus faz tudo para o nosso bem e se ele quis que ela fosse agora é porque era a hora.

Ela virou estrela e deve estar correndo e pulando em outros lugares.

FIQUE COM DEUS!!!!!!!!!!!!!!

sábado, 12 de fevereiro de 2011

"Uma prova de fogo"

Sabíamos que era difícil a vida de protetora animal, mas nunca imaginamos passar pelo que passamos no mês de setembro/10. Doamos no domingo dia 05/09 uma das filhotas de Sheron, a Jade, que foi batizada pela nova "dona" de Mel. A primeira impressão dela não foi positiva, mas como estava acompanhada de uma amiga que disse que ela queria muito a cadelinha a doamos (com o coração na mão), mas o pior estava por vir. Quando ligamos na segunda (06/09) para saber como tinha sido a primeira noite de Jade longe dos irmãos, fomos informadas que ela tinha sido doada para outra pessoa (mesmo com um termo de adoção que dizia que ela deveria ser devolvida para nós caso a adotante não desejasse ficar com o animal). Por sua vez, a pessoa que recebeu a cadela não atendia nossos telefonemas...  A luta só estava começando.

Marcamos com a primeira adotante para pegar a Jade no feriado do dia 07/09, mas ela também passou a não nos atender. Ai veio o desespero... Será que ela doou mesmo, será que a cadela morreu ou foi deixada na rua?

Enfim no dia 08 ela nos atendeu, e informamos que estávamos indo a casa dela para que nos fosse dado o endereço da pessoa que estava com a Jade. Fomos até lá, mas ela não estava em casa, falamos com a mãe da pessoa que doou Jade pela terceira vez (vizinha dela). Após várias tentativas a segunda "adotante" atendeu aos nossos telefonemas, disse que iria nos levar onde estava Jade para que a nova adotante assinasse o termo.

Elas não estavam levando o caso a sério, e não cumpriram com o prometido, e ainda mandaram que tomássemos nossas providências.

Como existe justiça também para animais, demos entrada em uma queixa acompanha de uma liminar, já que tentamos de todas as formas que ela fosse devolvida sem envolvimento da justiça. Só que a liminar foi negada, a juíza achou que não era necessário (faltou sensibilidade) e ficou mantida a audiência.

A audiência foi marcada para 01/02/11, só que como no nosso país tudo é no passo da tartaruga. Eu compareci no dia e horário marcado, mas a adotante não estava lá. Tentaram entregar por duas vezes a intimação a ela (pelo correio), como não tinha ninguém em casa desistiram e remarcaram para maio/11, com a alegação de que agora vai ser entregue por um oficial de justiça.

Estamos confiantes que iremos saber se a Jade está bem, e que de alguma forma isso sirva de lição para elas.


Obrigada a Dra Ana Rita Tavares (advogada) pela orientação.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Rifa



Olá pessoal!

O Latinha de Salsicha ganhou algumas camisas da MBez Ateliê e estamos rifando para arrecadar fundos para os animais que cuidamos, e para os que estão por vir.

São três camisas femininas de algodão (tamanhos P/M/G), cada assinatura custa R$3,00. Quem quiser ajudar pode escolher um dos nomes abaixo, e mandar via e-mail (pelo contato do blog).

O pagamento pode ser feito na conta:

Banco do Brasil
Agência: 0346-8
Conta: 15.048-7

Assim que conseguirmos completar a rifa divulgaremos o resultado aqui no blog.

Nomes:

Adalgisa-OK        Carmelita-OK    Elza-OK              Judite-OK
Alzira- OK           Consuêlo- OK  Etelvina- OK         Juliêta- OK
Amália- OK         Cecilia -OK      Eunice-OK           Júlia- OK
Araci - OK          Cleusa-OK       Ester-OK              Jandira- OK
Alaide-OK          Clarice-OK      Eulina- OK            Laura-OK
Adelina- OK        Celeste-OK    Eclideia - OK        Yêda- OK
Alda- OK            Dulcinéia-OK   Edilene                Yolanda-OK
Arlinda -OK         Dinorá-OK   Gilvonete-OK          Zélia - OK
Aurora- OK         Dôlores-OK  Guiomar - OK        Zilda - OK
Adélia- OK          Dalva -OK     Hildete-OK           Zuleide - OK
Amélia - OK        Dalila - OK     Hilda - OK          Clemilda- OK
Beatriz - OK         Diva-OK       Inês-OK
Bernadete- OK    Elvira-OK       Ivone - OK